domingo, outubro 31, 2010

Décimo quarto noturno

Vinha um negro vento do leste,

outro escuro do oeste;

o norte mandava uma sombra,

o sul soprava uma noite.


O teu navio,

coitado,

até resistiu

demais,

antes de romper-se em rochedos...

2 Comments:

At 3:46 PM, Blogger Maabi Alves. said...

Adorei os seus textos, eles dão uma sensação de agonia boa, viciante de ler. Ontem, enquanto lia os que você deu para Jú, tive que concordar com João, o quinto está muito belo, sem, é claro, desmerecer os outros. Beijos.

 
At 6:14 PM, Anonymous Anônimo said...

Poemas fortes, tingidos de saudades e de amor. Palavras seminais que arrastam quem lê para dentro de um redemoínho triste, como beijos perdidos no vazio de uma escuridão.

Luis Manoel Siqueira

 

Postar um comentário

<< Home