sábado, dezembro 11, 2010

Trigésimo noturno

Essa coisa

das auroras

nem parece

difícil...

Mas esconde

um mecanismo

complexo.


Essa coisa

do giro mudo

dos astros

nem parece

possível...

Mas esconde

uma engrenagem

perfeita.


Essa coisa

da morte

parece custosa...

Mas esconde

outro engate

vital.

9 Comments:

At 4:07 PM, Blogger Amanda Borba said...

"porque morir tambien es ley de vida"

 
At 10:23 PM, Anonymous Anônimo said...

Sabe "um soco no estômago"?
Foi o que senti ao ler o trigésimo noturno.
Algumas poucas palavras e você desperta coisas que ainda nem sei nomear ...
Poucas coisas me fazem isto ...

 
At 10:24 PM, Anonymous Anônimo said...

Esqueci o nome: Rosário.

 
At 8:57 PM, Blogger Orpheus said...

Porque o custo de viver é morrer.

 
At 10:38 AM, Anonymous Babi said...

Passar por aqui e me deparar com a poesia que é você só aumenta minha saudade e meu amor.

Lindo, lindo, lindo!

Um abraço daqueles bem apertado.

 
At 2:35 PM, Blogger Maabi Alves. said...

Cada vez que eu leio algo seu, eu sinto que me foi acrescentado algo e esse trigésimo então... Ele me deu um soco no estômago, bem como foi dito aí em cima.

 
At 1:08 AM, Blogger Alice said...

"Um grupo suíço de energia sustentável quer cultivar 58 mil hectares com cana-de-açúcar e mandioca para produzir etanol. Isso ameaça a segurança alimentar de aproximadamente 17 mil pessoas."

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,6118170,00.html

Bem, lembrei das baleias jubarte, morte de Senna, da chacina da candelária, das suas aulas.

Isso é que é "ecologia" heim.
Na realidade, é impressionante como a ambição por poder pode chegar a esse ponto.

Marina(ex pré-Ideia2010)

 
At 9:51 PM, Anonymous Anônimo said...

Flávia, queria que no seu curso você colocasse uma redação sobre a descriminalização das drogas, blz?

 
At 10:18 AM, Anonymous Anônimo said...

É nesse "engate vital" que eu creio e me motivo para viver, continuar, enxugar lágrimas e ri do palhaço, do menino na rua.

Belo poema, amiga querida.

Luis Manoel Siqueira

 

Postar um comentário

<< Home