domingo, julho 16, 2006

Menino do Capibaribe – para Filipe

Na terra
a lama - mangue.

No mar
a pedra - arrecife.

Na margem
a casa - palafita.

Na água
o jardim - sargaço.

No dia
a luz - sol.

Na noite
a orquestra - maruim.

Na lama
a vida - guaiamu.

Na vida
a migalha - sururu.

Na maré
o jogo - mergulho.

Na comida
o sal - tempero.

No banho
o esgoto - espuma.

No pai
o álcool - pancada.

Na mãe
o abrigo - chuva.

Na escola
o caderno - areia.

No papel
o lápis - dedo.

No búzio
o futuro - vento.

6 Comments:

At 9:09 PM, Blogger gabriela said...

Meu nome é gabriela pires,sou aluna de debora,mas tambem fui aluna por muitos anos,quase que a vida inteira do Instituto Capibaribe,ao ler seu texto me senti como "a menina do capibaribe",mesmo com todo bucolismo presente me remeteu aque le lar...sim,era e sempre sera um lar.
seu texto traz um "que" de aconchego e um "algo mais" de carpe dien.
parabens.

 
At 11:16 PM, Anonymous Rosário said...

Sou apaixonada por palavras ...
Sabe aquele transe hipnótico que se entra quando alguma coisa toca demais? Pois, para mim, “palavras” ou “expressões”, colocadas em contexto e/ou momento certos, me deixam assim! Esta, em especial, me encantou pela beleza e contundência de como 3 palavras colocadas juntas podem causar um impacto tão grande!!!

E foi meio assim que fiquei quando li seu poema, Flávia!!!

Passo um tempo para absorver o choque que elas me causam. É meio como se abrisse uma fenda no tempo, para que eu pudesse sentir tudo o que aquela obra de arte me inspira, para, só muito depois, entender por que elas me moveram daquele jeito...

É isso!!! Palavras bem contextualizadas são obras de arte – e poesia é isto! Eis aí por que gosto tanto de poesia!!!

Para escrever sobre o poema de Flavia, primeiro senti necessidade de colocá-lo em uma fonte que acho bonita e fazê-la colorida... Acho que isto faz parte do acréscimo que você falou, Flávia; é como se as palavras despertassem, em mim, a necessidade de lhes dar uma forma e um colorido! Como se fosse um presente especial que precisa de uma embalagem bonita... Queria muito fazer como aquelas mensagens lindas, mas, por ora, ainda é um limite com meu computador.
Bjs e parabéns!!!
Rosário

Quanto ao endereço de Deus,... ele mesmo se encarrega de receber as correspondências, via as pessoas que receberem isto (ahahahahah). É só enviar e ele responde!!!
Bjs
Rosário

 
At 9:13 AM, Anonymous Anônimo said...

Flávia

Às vezes me pergunto porque alguma coisa me interessa mais que outras, sem que eu entenda a razão. A Nova Acrópole me encantou, desde o começo, Alice foi uma descoberta fantástica, mas conhecer você, Débora e Poliana, me aproximar de vocês, me parece a essência desta coisa toda! Não sei se estou conseguindo me fazer entender! é assim como se tudo isto tivesse que acontecer para que pudéssemos nos encontrar nesta dimensão.

Será que vocês acham que estou ficando louca? Mas não; o que quero dizer é que acho que nossos caminhos se cruzaram por alguma razão que eu ainda não sei!!! e talvez por isto eu sinta tanto a falta de Poli em nossos encontros...

Olhe, isto é conversa para se ter pessoalmente, não acham?

Mas tudo isto veio pela forma como você escreveu a sua resposta ao meu pedido de divulgação de seu poema. Você é linda!!!

Depois vou tentar colocar no papel os sentimentos que sua poesia despertaram em mim. Por hoje, fica meu carinho para as queridas "Suassuna" que entraram em minha vida.

Rosário

 
At 10:18 PM, Anonymous Flávia said...

Rosário:
Fiquei feliz de saber que você gostou do meu texto. É claro que você pode enviar para Deus e o mundo esse meu "Menino do Capibaribe", mas me faça um favor: mande com um comentário seu, para que algo mais se some ao meu texto. Uma vez eu vi Bibi Ferreira dizendo que nunca admitiu ser filmada encenando porque achava que a pessoa que a visse atuando, quando fosse dizer a outra, somaria sua emoção ao que tinha visto e assim sucessivamente. E que o filme "engessaria" para sempre a encenação e a multiplicação emocional não poderia acontecer. Pois bem, envie com aquilo que você for capaz de acrescentar, porque pessoas são tranças de outras pessoas! Beijos, Flávia

PS: Você sabe o endereço de Deus? Você me passa, por favor? Quero falar umas coisas para Ele.

 
At 5:13 PM, Anonymous Amanda said...

Sem Palavras da descrever PERFEIÇÂO

 
At 3:14 PM, Anonymous Anônimo said...



Parabéns, Flávia! Você é um dos maiores exemplos que sigo: uma pessoa muito boa, com um coração gigante, mas também com muita execução e visão. Ter você na minha vida é um presente de Deus.

Pegando gancho da sua observação para Rósario: Você sabe o endereço de Deus? Quero dizer para ele eternizá-la. É inevitável não passar em sua trança para deleitar-se com belos poemas. Obrigado, obrigado! Que o maravilhoso Deus te abençoe.

Um abraço do seu aluno que a admira bastante.

Hugo Queiroz

 

Postar um comentário

<< Home