domingo, agosto 12, 2007

Outra solidão

Tenho uma solidão
sem nome
embutida
num soluço.

Ela mostrou-se tarde
e devagar.

Muito dela
está na doença
do meu filho
ainda
em carne viva.

Não passa,
nem quando
conheço
outra mãe ferida –
uma dor
não paga outra;
cada uma tem seu tanto de
surpresa e injustiça.

A solidão dessa dor
é sem cura,
como o luto inconcluso
que vivi
e ninguém adivinha.

Chega a ser ingrato
dizer da solidão
dessa dor.
Mas só a mãe
entende
a que sabe
cada filho –
seu desejo,
seu esforço,
seu afeto.

Essa perda incompleta
todo dia
atravessa
e anoitece
meu dia,
entretanto
não o vence
de todo.

E há um filete
de mim
que sobrevive
perto das ruínas
molhadas de lágrimas.

Há muito, porém,
suspeitei
a solidão em mim.

Ainda menina,
já se anunciava
num absurdo
impulso de agradar.

Ainda arrasto,
sangrando,
a sombra desse erro
marchetado na vida.

E há um perigo
e um medo
dentro do meu gesto
de procura
e solução.

17 Comments:

At 2:50 PM, Anonymous Rosário said...

Flávia ...
o que você fala é tão grande e eu me sinto tão pequena diante disto ...
Enviei um e mail para você, ok?

 
At 12:28 PM, Anonymous Kika Freyre said...

solidão.
soluço.
impulso de agradar.
procura.
solução.

solução.
procura.
impulso de agradar.
soluço.
solidão.

tentei espelhar o teu palavrear.
tentei que o impulso de agradar estivesse diante de você.
como num espelho.
como presentear a própria alma.
um presente estantâneo, como um soluço.
num tempo em qua a solidão dure menos que um solução...

um beijo e uma pirueta de gaivota no céu do além mar...
Kika Freyre.

 
At 3:10 PM, Blogger lagarta said...

do casamento destas solidões, não duas mas várias se faz uma forma perene, que é sabedoria.
Renatinha

 
At 11:41 PM, Blogger sinestesias palpitantes said...

a solidão é coisa de cada um. Por mais que a gente tente se enfiltrar dentro do eu de outra pessoa e tentar entender... É pouco demais. É nada. Mas eu sinto angustia daqui, do outro lado.
Só uma mãe sabe. Só uma mulher de verdade sabe.

e você bem sabe que é uma mulher de verdade. Admiração maior que a solidão vazia do peito.

-carlinha (que era da mater christi e ia pra capoeira com a intercambista chata!)

 
At 4:30 PM, Anonymous Anônimo said...

como você se ensinaria?

 
At 11:39 PM, Anonymous Fatima said...

Que lindo!
Uma vez eu li:Que somos absolutamente,sòzinhos na caminhada.E ficamos ao longo dela querendo agradar prá ver, se disfarçados,alguém caminha conosco.Mas ai, o outro e nós descobrimos a solidão enorme.E ai a gente finge,que o outro é semelhante,distantes criamos personagens,fantasia.

 
At 6:43 PM, Anonymous Anônimo said...

Pense nisso: talvez voce fosse melhor escrevendo contos, ou até mesmo crônicas, do que poesias.Talvez tocasse mais fundo o entendimento entre a alma e o coração.
Beijos

 
At 9:43 PM, Anonymous gustavo said...

a kika aí disse o que eu ia dizer... soluço, solidão, solução, tudo é tão duro na tua poesia, cabralino, tudo é tão seco, tão honestamente forte, sem apelo, sem ornamento. é uma poesia que nasce da necessidade de dizer, tua poesia é quase um não-dizer, um balbuciar, trôpega, asmática, cambaleante até a queda final. é uma poesia "clarice", só que a sua não é uma água viva, mas uma "carne viva"... doeu meu estômago, acho que sinal de que vc escreveu com as estranhas. quem tem esta tua força deve ter muito cuidado... por favor, tenha, contigo e com os outros...

 
At 6:57 PM, Blogger Jailton said...

Olha o comentário das pessoas quando conto toda a história e digo que mudei para letras:

Jão gabriel:
"AH letras....putz, que mudança hein? tem flávia suassuna nessa história hein?"


Não é que sobrou para tu no fim das contas!
hauhauahuahuahauhau


Beijão querida

 
At 9:20 PM, Anonymous Adriana Magalhães said...

"uma dor
não paga outra"

Sem dúvidas... me perguntavam por que eu adoro drama, músicas, poesias, filmes, tudo com drama, tristeza etc. Eu não sei, não é que pague, mas é isso como a essência da alma, acho. Dói, mas tem algo mais... e eu sou pequena demais pra saber, ou confusa demais pra sequer expressar assim, rs.


Lê meu comentário no post anterior, tá?
Ai meu, vc é linda, sua alma forte, grande e meiga conquista qualquer um, seus filhos devem morrer de orgulho da mãe que tem!!

Beijos, querida... boa semana!!

 
At 8:38 PM, Blogger Misael Montenegro said...

Muito bom, o blog! Adorei! Acompanho há um tempo, nunca comentei porque não a conheço, mas diante de um texto bonito como esse, não pude evitar. Parabéns!

 
At 8:44 AM, Anonymous Dimas Lins said...

Flávia,

Cheguei ao teu blog pelo Estuário, de Samarone Lima. Como não a conheço, desconfiava das qualidades pelas palavras de Sama. Chegando aqui, percebi que ele economizou nas palavras.

Tuas palavras, como disse alguém, são duras, secas e honestamente fortes.

Voltarei outras vezes.

Um abraço,

Dimas Lins

 
At 6:13 PM, Blogger Mariana Paixão said...

Eu fiquei tão feliz hoje quando você me 'reconheceu' quando eu falei contigo. :D

E aquele texto que você leu na sala, de Samarone, é lindo! *-* Eu não sou muito observadora (queria ser mais), mas depois que eu li aquilo eu passei a perceber melhor a sua timidez! ^^

:)

 
At 5:17 PM, Blogger Yslla Araújo said...

Flávia, adorei esse seu desabafo em forma de poesia. Não vou nem comentá-lo porque nunca passei por uma dor tão grande como a sua.

Sim, eu queria falar uma coisa com você. Mas não dá para ser por blog. Muito menos pessoalmente, porque você é verdadeiramente assediada ali no curso. Rsrs. É sobre Faculdades.

Me envia o seu e-mail para eu me corresponder.
yslla_e_cristo@hotmail.com

Fique na graça e na paz do Senhor Jesus!

 
At 11:56 PM, Blogger Rosário said...

Flávia
ontem foi seu aniversário. Tentei falar com você, mas não deu.
Espero que, neste novo ano que para você começou ontem, você possa sentir que se tornou uma pessoa melhor!
Abraço carinhoso

 
At 9:34 PM, Anonymous Cida said...

*Quando o conheci, senti uma solidão impotente de não poder fazer nada para que aquele sorriso com tanta vida pudesse se libertar do corpo amarrado, mas com o tempo ele vem mostrando que a paciência é companheira da sua solidão,
junto com força sem tamanho que tem.
Lembro de quando vc me falou do perigo da procura de solução, mas acredito no achar.*
*Bjs pra vcssssssss
Cida
Tel: 34452393/87663627

 
At 2:26 AM, Blogger albeniz said...

Ola
Sera que eu podia ter o e-mail da Adriana Magalhaes. Sou um amigo que perdeu contato com ela faz anos. Moro no exterior (Cardiff) e adoraria encontra-la.
Obrigado

Albeniz Clayton

 

Postar um comentário

<< Home