domingo, fevereiro 25, 2007

Adversativas

O moço
que me sabia
perdeu-se.

Gritei seu nome
chorei
chamei desesperada.

Mas ele partiu.

Todo amor é difícil:
luta
intersecção
espaços...
definições impossíveis,
molhadas de lágrimas.

Mas odiar é mais difícil ainda.

Nem sei agora
como falar
para quem começa:
– Cuidado, meninos,
isso é faca,
pode ferir,
matar...

Mas tenho uma fresca cicatriz
bem perto de mim.

Vivi cativa
emudecida
dentro de uma ampulheta
esperando ser feliz.

O tempo passou,
ficou perdido?
gastado?
ou foi o tempo preciso?

Mas o vidro estilhaçou-se!

E agora?
enxugar meu próprio rosto?
engolir meu soluço?

Mas trago a salvo
escondido
soberano
meu desejo
meu sentido.
E saberei consenti-lo.

10 Comments:

At 8:23 AM, Anonymous luis manoel siqueira said...

"Saudade o meu remédio é cantar"

 
At 8:49 PM, Anonymous Clarinha said...

morrendo de saudade de tu Flá.
Fica com Deus.
Sem ódio´ou rancor que isso é tao triste, feio, parece irreal.
não remete a sua pessoa.
Beijao.
Clarinha - Salpicada de Canela.

 
At 1:01 PM, Anonymous Leonardo Siqueira said...

Que poema...
Quantas sensações...
Quanto sentimento...
Adorei!


Leonardo B. B. Siqueira
VIVA A VIDA!

 
At 8:00 PM, Anonymous "Robertinho" said...

Fráu!

Que poema mais lindo! Nem sabia que tu esculpia coisas do gênero.
Até me identifiquei com ele...
sabe como é que é né?
E me confessa uma coisa depois, só pra mim? Esse poema é recente? Antes ou depois, para ser mais preciso?

Beijo!

 
At 10:56 PM, Blogger Sofia said...

Vamos lá! Vou comentar o seu texto, pode?

O que é tempo, afinal?

"O tempo passou,
ficou perdido?
gastado?
ou foi o tempo preciso?"

O tempo, querida Flávia, foi simplesmente, o tempo. Ele foi a única coisa que sabe ser.
Perdido não pode ter sido, pois passou, sabia muito bem por onde andava...
Gastado também não. Existe uma maneira engraçada de ver as coisas, e acho que nós, pessoas, sempre vemos assim. Quando temos um objetivo, algo em que acreditamos e "gastamos" tempo trabalhando naquilo, achamos que o esse tempo "gasto" foi útil. Agora, se no meio desse processo, se é que podemos chamar essa maluquice de processo, nós mudamos o nosso objetivo, ou nossa crença, logo pensamos que o tempo utilizado foi "gastado" ou "ficou perdido"

É como cuidar de um doente por um certo tempo, até que o doente morre, será que o tempo “gasto” cuidando desse doente foi, também, inútil?

A vida não tem um objetivo. O objetivo da vida, é viver...

Você diz que viveu esperando ser feliz... Se eu não visse essa característica em todo mundo ao meu redor, eu te consolaria. Todos nós vivemos esperando alguma coisa, tem gente que morre esperando o paraíso divino, e não percebe que a felicidade já é, e não que “vai ser”. Crianças esperam ser jovens, jovens esperam ser adultos, adultos esperam ser maduros, e os mais maduros só querem ser crianças novamente e passam a maior parte do tempo repetindo “Se eu tivesse ____ novamente, eu faria isso, isso e aquilo”. Ô povo complicado ... anos e anos de vida e parece que não entende. A felicidade é isso, ser feliz é poder rir sem ter nenhum porquê.

Na sala de aula, eu não sei se você lembra, mas você me disse que muitas pessoas acharam que esse seu texto era triste, pois eu discordo (discordar é a minha sina)! Ele vem de mansinho, enroscado, um pouco machucado, tem um leve gosto de remorso, se enrosca mais um pouco, entra em desespero, tem dúvidas, se questiona, mas sabe responder, e se levanta de uma forma admirável!

“Mas trago a salvo
escondido
soberano
meu desejo
meu sentido.
E saberei consenti-lo.”

Agora, só falta “desescondê-lo”!

 
At 11:09 PM, Anonymous Sofia Sampaio said...

acima.

 
At 10:28 PM, Anonymous marília monteiro said...

"Mas trago a salvo
escondido
soberano
meu desejo
meu sentido."
e isso é tudo...
você é maravilhosa mesmo! Nem preciso dizer que coisa linda que você escreveu.
eita saudade!
beijos sinceros.

 
At 11:15 PM, Anonymous Cida said...

Nem sei agora
como falar....
Ou nunca sei como falar
Lindoooooo
Bjs

 
At 5:33 PM, Anonymous Amanda Brandão said...

Nas horas difíceis, nada melhor que "ouvir" a voz da experiência.
Já dizia M. Bandeira:


"O que não tenho e desejo
É que melhor me enriquece.
Tive uns dinheiros — perdi-os...
Tive amores — esqueci-os.
Mas no maior desespero
Rezei: ganhei essa prece."

Acho que você vai "ganhar essa prece".

Um abraço

Amanda Brandão
(aluna de Débora)

 
At 7:48 PM, Anonymous Carol said...

"Todo amor é difícil:
luta
intersecção
espaços...
definições impossíveis,
molhadas de lágrimas."

Todo amor é mesmo difícil, principalmente quando na cabeça vem um bando de dúvidas sobre a palavra "amor". Eu vou fazer 16 anos e ainda não achei um significado para ela. Por isso que suas definições são impossíveis, ou não.

Beijos Profª Flá! ^^

 

Postar um comentário

<< Home