quinta-feira, agosto 03, 2006

Curriculum mortis – para Lília Monteiro

O difícil silêncio
que guardei
me perdeu.

A tarde palavra
que falei
não valeu.

A preciosa lembrança
que conservei
não serviu.

A longe memória
que esqueci
me faltou.

O ensinado passado
que ouvi
me prendeu.

O fluido presente
que vivi
não entendi.

O planejado futuro
que pensei
não chegou.

O amassado papel
que exerci
não prestou.

O preciso trabalho
que fiz
não bastou.

O desastrado gesto
que plantei
não pegou.

O irado discurso
que apontei
não transformou.

A logo solução
que adiei
me partiu.

O raro amor
que acertei
não adiantou.

O custoso tempo
que passou
não resolveu.

A muita lágrima
que chorei
me exauriu.

A pesada vida
que recebi
me quedou.

A precoce morte
que escolhi
não pude.

9 Comments:

At 4:10 PM, Anonymous Anônimo said...

Querida Flávia
Como alguem pode escrever poemas como quem pinta quadros? você tece uma cena, uma história , com cores, sons, sentimentos e é quase possível "ver" o que você passa.
Obrigada por compartlhar coisas tão especiais
Abraço carinhoso
Rosário

 
At 10:51 PM, Anonymous Clarinha Fonseca ( salpicada de canela ) said...

Tia Flá,
Amei seu blog, estarei aqui presente sempre.
Para mim suas poesias cairam como luvas para minha vida, pelo que estou passando e sentindo.
Espero que tudo de resolva.
Beijao enorme.
Clarinha ( salpicada de canela )

 
At 8:52 AM, Anonymous KIKA FREYRE said...

.....Pense numa Rapunzel!!!!!!
E bote TRANÇA!!!!!
beijocona,
Kika.... maravilhada.

 
At 6:52 PM, Anonymous Amanda Pereira said...

Muito bom. A gente aprende em literatura que quem escreve é o eu-poético, que até mesmo autores que eram homens tiveram poesias com eu-poético feminino. Mas também dá para perceber que o eu-poético se contamina com a vida do autor e isso deu pra perceber na sua poesia.

Bjus
Amandinha
(veja meu comentário na poesia 'Vestida de Sol - para Fred')

 
At 10:26 PM, Anonymous Mariana Vidal said...

Que lindo... e que triste...
Infelizmente, consegui me enxergar nesses versos...

uma aluna sua
:)

 
At 11:10 AM, Anonymous mrosario@hotlink.com.br said...

Oi !!!!!!!!!!!!!
Cadê você?
estou sentindo falta !

 
At 12:09 AM, Anonymous Bia said...

realmente me vi um pouco diante desses versos,acho q como todos..maravilhoso..cm vc manuseia bem isso...VERY VERY GOOD
=vou dar uma roubadinha nele acho q isso n é proibido n neh?uahuahua
e vou por talvez no meu orkut mas claro com seu nome.

 
At 11:01 PM, Anonymous marília rocha - colegio idéia said...

muito lindo o poema
amei esses versos:
"O raro amor
que acertei
não adiantou."
eles discrevem bem o meu momento atual
lindo mesmo

 
At 2:59 AM, Anonymous Bernardo Valença said...

A sua poesia jorra sobre a alma e carrega consigo um pedaço.

 

Postar um comentário

<< Home