segunda-feira, abril 21, 2008

Chá de rolha - 10

Uma noite especial
O bicho mais parecido com filha que terei é nora. Agora, por exemplo, a casa está cheia de noras e cada uma delas traz uma riqueza especial. Como só tenho filhos, a primeira prenda que cada uma acrescenta são surpresinhas assim: venho andando pela casa e encontro uma havaiana cor-de-rosa! Essas coisas pequenas costumam me dar uma alegria leve e doce...
Sei que noras, por enquanto, são seres transitórios. Mas é impossível não gostar de cada uma que chega e sentir um pouco quando se vão... São aquelas coisas da vida que a gente deve aproveitar enquanto tem e, depois, deixar partir, suavemente...
A nora que Diogo me trouxe é reservada e bela como uma madona de Rafael. Sua pele dá complemento à beleza de seus traços e ela parece ser franca e saber o que quer e o que é. De todas, é a que menos conheço, até porque Diogo é um marujo, mal pára em casa.
A nora que Filipe me trouxe é inquieta e curiosa. Chegou aperreada e sem rumo, e acho que Deus a colocou ao lado de meu filho com deficiências porque ela precisava aprender a ir mais devagar para ir certo. É a mais pegada comigo, porque sua família mora no interior e também porque Filipe tem pouca autonomia e fica muito ao meu lado. Os três temos nos ajudado muito, de mãos dadas.
A nora que Daniel me trouxe é a mais antiga. É manhosa, calada, discreta e charmosa; tudo que veste fica chique e “estiloso”, como dizem meus alunos. Esta história é sobre seu gato, que está passando uma temporada na minha casa, enquanto ela se muda.
Para contar esta história de hoje, preciso antes contar outra, anterior. Há algum tempo, minha irmã Debe nos convidou (eu, meus filhos e minhas noras) para assistir a um filme francês na casa dela. Mas o programa foi um fiasco: deu uma fome nos meninos, que acabaram com o creme de galinha dela; os telefones não paravam de tocar; fizeram pipoca; comeram bolo; mandavam dar pause no filme; saíam; voltavam; desistiram... a maior confusão. Aí, Debe não agüentou:
− É nisso que dá! Me misturar com mundiça pra ver filme francês! Já não tou entendendo é nada!
Caímos todos na gargalhada e demos razão a ela. A partir daí, a cor do sofá, o tamanho da feira, o cardápio, tudo se justifica lá em casa assim: é por causa da mundiça. E nos divertimos, rindo de nós mesmos.
É claro que a mãe, que sou eu, sempre tenta dar um jeito e corrigir, mas Debe tem razão: é uma mundiça sem remédio. Daí a minha casa se tornar a Rocinha foi um pulo. Mas tenho um consolo: a casa de minha outra irmã, que também tem uma mundiça desmantelada, é o morro do Alemão, porque seus filhos são louros. Pelo menos não estou só, atolada na lama...
Então, há dois dias, chamei um novo amigo velho para jantar e resolvi inaugurar a louça da minha avó, que está comigo há muitos anos e que, heroicamente, consegui salvar intacta de minhas muitas mudanças, com muito esforço, confesso, sempre a carregando no colo, com todo o cuidado.
Meus leitores já sabem que inaugurações não são o meu forte (quem quiser ler o relato das inaugurações malogradas, é só acessar aí ao lado o arquivo de fevereiro de 2007). De novo, deu tudo errado.
Deixei para pôr a mesa depois que os convidados chegaram: copos de cristal, os pratos de vovó (belíssimos espécimes de uma antiga louça inglesa, “chique no último”, como se diz no Piauí), guardanapos bordados, cardápio francês, vinho chileno, tábua de queijos!...
Confesso que passei a semana temerosa... De surpresa, chamei outro amigo comum... Eles não se viam há quinze anos e, sorrateiramente, provoquei o reencontro... Tantas preparações, telefonemas interurbanos, nem sei como consegui, de tanto que me enrolei com os DDD... Pois bem, tudo chique e lindo, fui buscar na cozinha o prato francês que tinha feito com tanto esforço e com tanta ajuda...
Aí o gato da minha nora apareceu na sala e resolveu afiar as unhas na toalha... A toalha escorregou... Houve um espanto, todos correram, tentaram salvar o desastre... Mas um prato e um copo caíram no chão e quebraram-se em mil pedaços! Todo mundo ficou triste...
− Ai, é algo de estimação? − perguntou a esposa do meu amigo.
− Essa louça foi da minha avó − respondi, tentando parecer animada.
− Que pena!
− É bobagem, disse eu, varrendo e disfarçando minha desolação.
Mas o que eu pensava mesmo era na história de Debe, que eu não tinha mesmo que me meter a besta com a mundiça que me cerca.
O jantar terminou, todos foram embora bem, mas minha nora ainda não se recuperou do remorso e da culpa, coitada! O gato se assustou um pouco na hora, com a correria e a admiração geral, mas, cinicamente, logo depois, estava dono da situação, passeando todo charmoso e, de novo, proprietário da casa.
Quando Diogo chegou, que contei, retrucou:
− É a bocada, mãe, não tem nada a ver com você. Relaxe!
Essa frase e o e-mail do meu amigo no dia seguinte, dizendo não só que a noite foi mágica (apesar do gato) mas também que cozinho bem, me consolaram de tudo. Passei o sábado rindo de mim mesma e da situação e até achando que tenho tudo a ver com a mundiça, já que a pari.
O que queria mesmo neste texto era registrar meu afeto por essas meninas e meu apreço por meus dois velhos amigos novos (pois, de certa forma, sempre somos outros depois das tempestades) e dizer que encontros, desencontros e reencontros fazem de nós o que somos: seres espirituais, é verdade, com cicatrizes e feridas, que irão aos poucos, no contato uns com os outros, lapidando o que, por fim, surgirá de melhor em cada um e em todos...

A Luis Manoel, Manoel Affonso, Isabella, Bruna Monteiro, Julli e Bruna Lafayette. E a Lampião, o gato, claro.

P.S. Mundiça s.f. (s.XIX) infrm. 1 B N.E. grande quantidade: 1.1 de gente que pertença às camadas mais baixas da população; ralé 1.1.1 de pessoa ou coisa ruim 1.2 de piolho (p. ext.: pulga, percevejo etc.); cafute 2 ARAC ENT BA m.q. BICHO-DE-GALINHA ETIM f.dial. de imundície/imundícia □ SIN/VAR ver sinonímia de ralé □ ANT ver antonímia de ralé. (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa)

14 Comments:

At 12:23 PM, Blogger InformAÇÃO said...

Adorei teu texto, muito massa...
o pior sobrou pra mim né? A mais atacada, mais aperreada...
Acho que meus defeitos acabaram se tornando até qualidades pela forma como se expressou tão doce com a nora mais ENTER que vc já teve. Mas tb acho que a minha chegada ou vice-versa na vida de Fi, foi, não só, para eu colocar o pezinho no freio, mas pra ele acelerar tb. A contribuição é recíproca, EU ACHO.
Mas apesar das minhas QUALIDADES-DEFEITOS citadas, o melhor da história foi Lampião.
Ele fez e aconteceu e tava nem aí com a situação....

E relaxe, Bú se refaz tranquilo. Até porque o que não se pode remontar são os cristais.

bjs

 
At 9:15 AM, Anonymous Webcam said...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Webcam, I hope you enjoy. The address is http://webcam-brasil.blogspot.com. A hug.

 
At 10:34 PM, Blogger rossana.f said...

Adoro seu blog... Sempre que entro na Internet dou uma lida nos seus textos. Na verdade eu odeio blogs, acho que a maioria só tem textos inúteis, sem historias interessantes. Pra você ter idéia de como gostos dos seus textos... Os únicos blogs que leio são o seu e do meu irmão. A senhora não me conhece... Fui aluna da sua irmã Débora no colégio Idéia, e como admiro muita a sua irmã, automaticamente, achei que também iria me agradar das suas idéias.
Por favor, não para de escrever, ta certo?

Abraço.

 
At 9:15 PM, Blogger Yslla Duarte said...

Flávia, eu nunca ri tanto com um texto teu como ri com esse. Eu daria tudo para ver a sua cara na hora do jantar.

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

Por incrível que pareça, li esse teu texto sem reclamar do tamanho, viu?!
=D

Um beijo beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem grande,
My teacher de Literatura do coração! ^^

Fique na santa paz de Cristo!

 
At 5:04 PM, Anonymous Anônimo said...

aquele gato enorme e belo, apenas nos lembrou que existem perdas mais importantes do que simples pratos:Dona Ritinha, Solange, Dr. Jabes - e todosaqueles que amamos !

O seu texto me deixou com lágrimas nos olhos.

Luis Manoel Siqueira

 
At 11:19 PM, Anonymous Anônimo said...

GATO SAFADO
EU TERIA JOGADO ELE PELA VARANDA, FEITO ELE ENGOLIR CADA CACO E DEPOIS TOCAVA FOGO NO BICHO

 
At 9:48 AM, Blogger Adriana Magalhães said...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tadinho do gato!!! Ainda bem que vc não fez o que o indivíduo acima disse que teria feito, hehehe.

Que postagem engraçada e trágica!! São essas coisas que, na hora, é horrível, mas depois vc se vê no espelho e se pergunta: pq eu sou assim? E começa a rir de si mesma!

Bom, querida Flávia, eu finalmente resolvi fazer um blog também, pois chegou uma fase em que eu estou mesmo a fim de trocar conhecimentos e blogs interessantes não faltam, a começar pelo seu, hehe! Já favoritei vc, então sinta-se a vontade para aparecer por lá quando quiser! :)

Beijos!

 
At 2:47 PM, Blogger C. said...

flávia, fui tua aluna num curso de filosofia com redação e até hoje me pego rindo sozinhas das tuas observações :p
pois bem, muito bom encontrar o blog, encontrar pela internet escritos teus!

um xêro

 
At 11:42 PM, Anonymous Cida Miranda said...

Flavia adorei!!!
Quanto as noras é isso mesmo que vc descreveu: É lindo enquanto dura nossa relação com elas. Agora mesmo estou passando por isto. Nos apaixonamos por elas e de repente desaparecem do nosso convívio, mas é isso mesmo.
Poxa! Achava que mundiça só tivesse num lugar: na minha casa hehehehehe.....
Você sabe que adoro cozinhar para as pessoas, faço tudo com muito carinho e cuidado para impressionar, mas não tem jeito somos mundiças mesmo, a começar de quando ponho a mesa na sala jantar e minhas mundiçinhas preparam o prato e saem para o terraço. Eu entro em desespero.
Parabéns pelo belo texto e pela família linda.

 
At 4:48 PM, Blogger Val Becker said...

Olá, Flávia!
Cheguei aqui durante uma navegação pelas águas virtuais... e, de blog em blog, conheci "Trança" porque me chamou a atenção o fato de ser homônimo de uma música minha. :)
Além de adorar os textos, descobri outra afinidade: ambas temos um filho chamado Daniel.
Parabéns pelos textos e pela divertida família.
Voltarei aqui, com certeza!

Um abraço.
Val.

 
At 3:44 PM, Blogger Etiene said...

Oi, Flávia! Esse texto é mesmo a sua cara. Ninguém saberia descrever um acontecimento tão "trágico" com tanta graça. Você é realmente uma privilegiada. Quanto à sua mundiça, pense nuns bichinhos lindos e maravilhosos! Não tinha visto mundiça tão doce e amorosa. Só a minha.
Sou sua admiradora. Você é uma grande mulher!

Beijos
Etiene Donato

 
At 9:14 PM, Blogger Zezinho Pindaiba said...

Adorei seu blog, estou colocando-o como meus favoritos.

Ri muito com seu texto e fiquei lembrando de como é minha familia, quando se reúnem em uma festa, são 13 tios e 20 primos, fora os penetras. Ah sim ia esquecendo do meu cachorro, que é travesso igual a seu gato.ehehehehehehe

Espero sempre ter esse prazer de ler o seu blog.

Beijos

 
At 10:36 PM, Anonymous Luisiana Lamour said...

Olá Flávia
Estou fã do seu blog e agora, com essa do gato, mais ainda.Também tenho um gato, o Gordão ,gostaria de lhe enviar uma foto dele.
Luisiana Lamour

 
At 8:37 AM, Anonymous Anônimo said...

[url=http://www.ganar-dinero-ya.com][img]http://www.ganar-dinero-ya.com/ganardinero.jpg[/img][/url]
[b]La mejor web sobre ganar dinero[/b]
Hemos hallado la mejor guia en internet de como trabajo casa. Como fue de utilidad a nosotros, tambien les puede ser de utilidad a ustedes. No son unicamente metodos de ganar dinero con su pagina web, hay todo tipo de metodos de ganar dinero en internet...
[b][url=http://www.ganar-dinero-ya.com][img]http://www.ganar-dinero-ya.com/dinero.jpg[/img][/url]Te recomendamos entrar a [url=http://www.ganar-dinero-ya.com/]Ganar dinero[/url][url=http://www.ganar-dinero-ya.com][img]http://www.ganar-dinero-ya.com/dinero.jpg[/img][/url][/b]

 

Postar um comentário

<< Home